C   redit
As coisas mudam, mas isso não significa que elas melhoram.
Larissa Muniz. 
Eu vou te amar, como se eu nunca tivesse sido magoada.
Demi Lovato. 
A gente briga, a gente se ama, a gente vai e a gente volta. A gente é da gente e da gente ninguém tira.
PS. Eu te amo.
Eu estaria mentindo se falasse que seu sorriso não mexe comigo.
Cidades de papel. 
Eu sou meio todo mundo. O engraçado, o chato, o romântico, o amigo e o solitário. No fim do dia não sei qual deles eu sou e o sentimento de ser ninguém me invade. Eu choro.
Caio Augusto Leite. 
Ela é barulho, eu sou silêncio. Mas a gente se ama na mesma frequência.
Eu me chamo Antônio. 
Porque não sei me dar pela metade, nem por partes. Eu transbordo.
Clarissa Corrêa. 
É como se eu estivesse na beira de um precipício, quase caindo e não houvesse ninguém ali para segurar minha mão. Acho que não sou alguém que valha a pena salvar.
Larissa Muniz. 
Mas nada foi tão teu, do que eu.
Larissa Muniz. 
Meu bem, agora pense comigo: para que se remoer por um amor que não foi bem sucedido? Como já diz, não foi bem sucedido, acabou. Você não vai morrer se não o tiver, o máximo que irá acontecer é dias de “ai meu Deus, o mundo vai acabar”. Depois de um tempo chorando e berrando aos cantos você percebe que a vida é assim mesmo, um vai e vem. O mundo não conspira-rá sempre pelos nossos pedidos. Agora aprenda a conviver com isso, o amor não mata, se ele está te fazendo mal, tudo leva a crer que não é amor de verdade. Levanta da cama, e vá viver sua vida, algo de bom a de encontrar você.
Mas jovem, nem tudo está perdido.  
Os olhos continuaram a dizer coisas infinitas.
Machado de Assis.  
Não é mau este costume de escrever o que se pensa e o que se vê, e dizer isso mesmo quando não se vê nem pensa nada.
Machado de Assis.  
Tire a sua maquiagem, solte o seu cabelo, respire, olhe-se no espelho, não gosta de você? Porque eu gosto de você.
Colbie Caillat 
Eu queria ser seu último amor. Mas sabia que não era. Sabia e a odiava por isso. Eu a odiava por não se importar comigo. Eu a odiava por ter me deixado naquela noite. E odiava a mim mesmo por tê-la deixado ir embora, porque, se eu tivesse sido suficiente, ela não teria querido ir embora. Simplesmente teria se deitado comigo, conversado e chorado. E eu a teria ouvido e teria beijado as lágrimas que caíam dos seus olhos.
Quem é você, Alasca?